Atualmente o que não falta para muitas igrejas é o ofício de “pregadores profissionais”. Há uma variedade e cada um destes para um público específico, mas quanto aos verdadeiros pregadores bíblicos há uma escassez cada vez maior.

Diante do fato acima, o pastor Renato Vargens presenteou seus leitores com um ótimo texto sobre que tipo de pregador a igreja deve deixar fora de seus púlpitos. Republicamos aqui na íntegra. Confira abaixo:

Há pouco eu escrevi um texto onde tratei de 12 qualidades de um pregador que deve ser ouvido (aqui). Hoje, visando ajudar àqueles que me leem a descobrirem os tipos de pregadores sérios, resolvi escrever doze características de um pregador que não deve ser ouvido:

1- Pregadores que não creem na inerrância das Escrituras, nem tampouco que ela é a infalível Palavra de Deus.

2- Pregadores que distorcem as verdades bíblicas para tirar dinheiro do povo.

3- Pregadores que pregam autoajuda.

4- Pregadores cujas mensagens são antropocêntricas e visam exclusivamente a satisfação humana.

5- Pregadores que repetem jargões de cinco em cinco minutos.

6- Pregadores que são desprovidos de piedade, santidade e que possuem um linguajar chulo.

7- Pregadores que preferem ser politicamente corretos em seus sermões a serem fiéis.

8- Pregadores que não dominam as doutrinas fundamentais das Escrituras.

9- Pregadores que não são aptos para ensinar.

10- Pregadores arrogantes em suas posturas, falas e exposição.

11- Pregadores que falam mais de si mesmos, de suas conquistas, do que de Cristo e seu Reino.

12- Pregadores que se preocupam mais com a glória do seu nome, que a glória de Deus.

Pense nisso!

Por: Renato Vargens

RECOMENDAMOS


O Leão de Judá
Judá, a ti te louvarão os teus irmãos; a tua mão será sobre o pescoço de seus inimigos; os filhos de teu pai a ti se inclinarão. Judá é um leãozinho. (g49:8)

COMENTÁRIOS