1. Você é otimista

Ser otimista trata-se da tendência a enfrentar as dificuldades com bom ânimo, perseverança e esperança. É um enfoque que nos permite encontrar soluções, vantagens ou possibilidades quando se passa por dificuldades.

Se formos positivos e otimistas será mais simples aceitarmos as responsabilidades de nossas ações, e aproveitarmos o tempo para melhorar e superar-nos.

2. Tolera à frustração

Desenvolver a tolerância à frustração permite melhorar a estabilidade emocional.

É importante ser tolerante quando alguém ou você mesmo comete algum erro. Lembrar que ninguém no mundo é perfeito, e que todos cometemos equívocos nos permitirá ser mais flexíveis com os demais e com nós mesmos.

Existem programas de intervenção que destacam a importância de elaborar estratégias de conduta alternativas, com o objetivo de improvisar novas ações no lugar de repetir as falhas.

3. Inteligência emocional

É um sinal de maturidade e inteligência que permite aprender a regular as respostas emocionais. Pode ser traduzido como a capacidade de reconhecer e lidar com os sentimentos próprios e alheios, facilitando o comportamento.

De acordo com a quantidade considerável de pesquisas sobre o tema, a inteligência emocional está relacionada com o sucesso.

Revelou-se que essa capacidade forma a base de competências sociais e emocionais que são importantes para o êxito em qualquer emprego.

Portanto, a inteligência emocional pode ser usada a nosso favor para melhorar a produtividade e bem-estar psicológico.

4. Paixão

Alfredo Culebro, empreendedor e empresário especializado em potencializar pessoas e empresas para alcançar o sucesso, em seu livro Esto tiene que cambiar! (Isso tem que mudar! – tradução livre), define a paixão como a energia inesgotável que impulsiona às pessoas a seguir sem se importar com limites ou dificuldades.

A paixão resulta ser de grande ajuda pois permite que a pessoa se sinta realizada e desfrute do trabalho, ainda que não haja reconhecimento.

Pesquisas têm descoberto que a paixão positiva (harmoniosa) tem uma influência positiva por proporcionar níveis mais altos de emoções positivas, de concentração e o desejo de realizar bem a tarefa.

Isso favorece o empoderamento da pessoa e sua capacidade de enfrentar os desafios que apareçam, independentemente da ajuda externa. Ainda que não seja uma habilidade inata do ser humano, pode ser buscada e desenvolvida.

5. Compromisso e motivação

Comprometer-se é uma obrigação que requer pleno conhecimento para ser realizada.

Ocorre quando a pessoa acredita no que faz e é um assunto importante para ela, que impulsiona e mantém firme sua conduta. Como resultado, o indivíduo não se detém até cumprir todos os objetivos expostos.

Por sua vez, a motivação é um sentimento que surge a partir de um alto grau de envolvimento para alcançar alguma meta; não apenas para a satisfação e necessidades básicas, mas também aquelas relacionadas à autorrealização (como ter sucesso em diferentes âmbitos da vida). Nessa gama também se inclui o desejo de alcançar eficiência e qualidade.

Isaac Garrido Gutiérrez afirma que “a investigação em psicologia confirma […] que o sujeito atua por um exercício de livre vontade, estruturando um forte sentido de responsabilidade pessoal”.

Em outras palavras, a motivação pode ser autodeterminada, iniciada e regulada por escolha própria, o que origina o cumprimento de metas previamente antecipadas.

É assim que a motivação se transforma no motor interno que conecta a mente, vontade e interesse para realizar objetivos de maneira positiva, alegre e esperançosa.

6. Flexibilidade

Quando passamos por dificuldades é difícil permanecer no nosso centro, inclusive quando somos muito críticos com nós mesmos.

No entanto, a aceitação das circunstâncias e a flexibilidade permite ter foco no que podemos mudar e que ver as mudanças como novas oportunidades de crescimento.

De acordo com a Terapia de Aceitação e Compromisso (ACT), a aceitação e flexibilidade psicológica ajudam à pessoa a se soltar e se mover com as experiências negativas prévias para encontrar uma maneira de viver plenamente e se focar no que verdadeiramente importa.

7. Aprendizagem

A resiliência não é uma capacidade, mas um processo de aprendizagem.

Geralmente, o ser humano aprende através da prova e do erro. Portanto, não podemos fazer o que não aprendemos.

As experiências são uma grade fonte de conhecimento pessoal que servirão para criar estratégias na hora de enfrentar eventos difíceis na vida e superá-los com alegria.

Via Melhor com saúde

Fonte Vida em Equilíbrio 

O Leão de Judá
Judá, a ti te louvarão os teus irmãos; a tua mão será sobre o pescoço de seus inimigos; os filhos de teu pai a ti se inclinarão. Judá é um leãozinho. (g49:8)

COMENTÁRIOS