Por: No Secreto

“Pouco me importa ser julgado por vocês ou por qualquer tribunal humano; de fato, nem eu julgo a mim mesmo. Embora em nada minha consciência me acuse, nem por isso justifico a mim mesmo; o Senhor é quem me julga. Portanto, não julguem nada antes da hora devida; esperem até que o Senhor venha. Ele trará à luz o que está oculto nas trevas e manifestará as intenções dos corações. Nessa ocasião, cada um receberá de Deus a sua aprovação.” (1Co 4.3 – 5)

Hoje encerramos a nossa série de 10 devocionais fundamentados no tema APROVADO, onde no primeiro falamos sobre o tema em geral, e nos demais abordamos sobre: a prova da salvação; prova da perseverança; prova do autoconhecimento; prova tendo como único método de estudo a palavra; prova da santidade; prova da restauração; prova das motivações de nossas ações; prova de um serviço honrado e dedicado a Deus.

Nesse décimo e último texto, gostaria de falar sobre a prova final, que se refere ao julgamento de nossos atos.

Um servo do Senhor está sempre sendo julgado pelos seus atos, não raro de maneira negativa. Temos o exemplo de Paulo de Tarso, que por diversas vezes foi criticado pelas pessoas e até mesmo pelos próprios companheiros apóstolos. Mas isso não o perturbava, pois sabia que o julgamento de seu Senhor era o que, realmente, importava.

E você, no seu íntimo, já condenou algum irmão ou irmãos por coisas que aos seus olhos você concluía que não refletiam à Cristo?

No meu caso, por várias vezes durante a minha caminhada cristã fiz o papel, que é somente, de Deus. Sou o “remador” que por diversas vezes pensa ser o capitão do navio. Porém, somos servos que apenas administram os bens do Senhor, e não possuímos coisa alguma. Temos a responsabilidade do nosso próprio corpo diante de Deus.

E Sua vontade é a nossa santificação. Perguntas como: “será que todos me olham com bons olhos? ”, ou “será que amo mais a Jesus do que aquela pessoa? ”, são totalmente dispensáveis. O que realmente importa é a nossa responsabilidade de sermos fiéis ao Senhor e termos uma vida aprovada por Ele.

A ideia central do devocional é essa e se você conseguir pratica-la, você será um bom administrador dos bens do Criador e será devidamente recompensado no final de tudo.

Portanto, o julgamento mais importante é o julgamento de Deus.

Ele nos revela se estamos vivendo uma vida aprovada, no presente, por meio de sua Palavra e do ministério do Espírito. Mas não se ofenda quando um amigo, que te ama, procurar você e buscar ajudá-lo a reconhecer e a confessar um pecado, pois Deus utiliza esse tipo de ministério.

Porem nunca se esqueça do principal, que foi dito anteriormente, de que todo cristão passará no tribunal do Criador e nessa ocasião, a verdade será revelada e os servos fiéis serão recompensados. Quem julga o irmão, faz o papel que é somente de Deus e se apropria dos privilégios que somente cabem a Ele.

Não julgue os servos do Soberano no momento errado.

É muito fácil interpretarmos uma situação incorretamente e cometermos um grande erro. Não se tornem pessoas independentes e presunçosas. Pelo contrário, caminhem como Corpo de Cristo e como uma família, promovendo o crescimento uns dos outros. Sejam honestos e façam críticas em amor. Fortaleçam a verdade, fortaleçam os seus irmãos, fortaleçam a união da Igreja de Cristo. Sejam fiéis no aprendizado e no ensino da Palavra de Deus. Deixem o julgamento somente para quando o Senhor voltar, é Ele quem avaliará a vida e o ministério de cada pessoa, pois somente Ele conhece o coração de todos os Seus filhos.

10 - A PROVA FINAL

O Leão de Judá
Judá, a ti te louvarão os teus irmãos; a tua mão será sobre o pescoço de seus inimigos; os filhos de teu pai a ti se inclinarão. Judá é um leãozinho. (g49:8)

COMENTÁRIOS