Por: João Guanes

Barreira ou oportunidade

Era um final de tarde, voltava do trabalho. Havia saído de uma jornada de oito horas e duas para O Almoço. Cansado, com muita fome, pensava apenas em tomar um banho, comer e sentar em minha poltrona. Ao entrar pelo portão social do condomínio dei com A Mão, ao Porteiro e algumas pessoas, que estavam por ali.

Por vias de regras, costumo dizer, que A Escada que leva A Porta do meu Apartamento para O Terceiro andar, é como O Tiro de misericórdia. São vinte e oito degraus com três espaços. Então foi segurando firme Ao Corrimão, que comecei A Subir lentamente. A Cada degrau galgado as minhas pernas pareciam estar mais pesadas. Ouvia algumas pessoas sorrindo, crianças chorando, cachorros latindo.

Mas nada disso diminuía O Desânimo. Existem, algumas normas pré-estabelecidas em Estatuto, do Prédio. Uma delas é A Proibição de coisas ou pessoas paradas pela escada.

No entanto, já próximo dos últimos degraus, a surpresa! Havia uma Tábua atravessada em meu caminho. O Broco estava em reforma, O Pedreiro havia-a esquecido. Quando, me deparei com ela perguntei para mim mesmo. “o que fazer? Volto, A Portaria e reclamo os meus direitos, retiro A Tábua do lugar ou penso num jeito de atravessá-la. Então, foi aí que surgiu A Ideia de escrever esta Crônica.

A Evolução da tecnologia com sua potência cada vez mais rápida. Vêm, ocupando casas, empresas, comércios e até Instituições. O Consumo desenfreado por máquinas, sofisticadas em busca de melhor comodidade! Convergiu tudo para um aparelho só. O Celular. No entanto, toda esta facilidade, também têm sido motivo de grandes preocupações; Por quê faz com que O Ser humano pense, cada vez menos.

Na era digital, posso: comprar, estudar, criar, negociar e até me relacionar com outras pessoas, sem sair de casa. Pensar para quê! Se tenho Máquinas que pensam por mim.

A Tábua em meu caminho, se apresentou como uma Metáfora para vida. O Que fazer quando me deparar, com O Problema: volto para reclamar? Uso, A Força para removê-lo? Ou, aplico a capacidade de pensar, analisar, para buscar uma solução e resolvo a situação.

Assim diz a Palavra de Deus: O Senhor dos exércitos jurou, dizendo: “Como pensei, assim sucederá, e como determinei, assim se efetuará”. (Isaías: 14-24).

João Guanes:Jornalista e acadêmico do curso de Letras. Deficiente visual

 

10 - A Tábua e A Escada

O Leão de Judá
Judá, a ti te louvarão os teus irmãos; a tua mão será sobre o pescoço de seus inimigos; os filhos de teu pai a ti se inclinarão. Judá é um leãozinho. (g49:8)

COMENTÁRIOS