“É uma luta para estar viva. Tem dias que eu estou muito bem, tem dias que eu acordo e me pergunto se não é um pesadelo.”, desabafou a atriz.

Em entrevista ao “Cinejornal”, do Canal Brasil, Cássia Kiss falou sobre como vêm enfrentando a quarentena em sua casa, no Rio de Janeiro. Segundo a atriz, a pandemia tem provocado uma grande oscilação de emoções.

“É uma luta para estar viva. Tem dias que eu estou muito bem, tem dias que eu acordo e me pergunto se não é um pesadelo. Você tem o pesadelo que é enfrentar uma pandemia e você tem outros históricos, por trás, no Brasil, confusos. Fica de fato uma sobrecarga muito grande”, contou a atriz.

A atriz, de 63 anos, está em isolamento com três de seus quatro filhos e fala sobre as reflexões e emoções durante este período.

“Eu não tiro uma sobrancelha, eu não corto uma unha há não sei quanto tempo. Eu moro infelizmente em uma casa gigante. Eu estou sozinha aqui com três filhos homens. Então são todas as inflexões, as oportunidades das inflexões que você faz sobre seu histórico de vida, o passado, as escolhas que você fez, as escolhas que você tem que fazer agora em relação ao futuro e ao presente.

Eu preciso agradecer a oportunidade de estar viva em condição de enfrentar isso e sobretudo de poder ajudar tanta gente que está precisando. Eu choro pelo menos cinco vezes por dia, mas não é aquele choro que sai uma lagriminha. É um choro da emoção da própria vida.”, finalizou a atriz.

A entrevista vai ao ar no “Cinejornal”, do Canal Brasil, nesta quarta-feira (8) à noite.

***
Destaques Psicologias do Brasil, com informações de Blog Patricia Kogut.
Foto destacada: Reprodução.

O Leão de Judá
Judá, a ti te louvarão os teus irmãos; a tua mão será sobre o pescoço de seus inimigos; os filhos de teu pai a ti se inclinarão. Judá é um leãozinho. (g49:8)

COMENTÁRIOS