Os nossos erros não são motivo de vergonha, mas uma oportunidade de nos tornarmos melhores como seres humanos e compartilhar o perdão, como Deus nos ensinou.

Ninguém está isento de errar, estamos todos suscetíveis aos erros, pois essa é uma das características que nos constituem como humanos. É errando que aprendemos como devemos agir diante das mais diversas situações ligadas ao nosso trabalho, no cotidiano e nas relações que estabelecemos ao longo da vida.

Os erros que cometemos são oportunidades capazes de nos fazer crescer em humildade e perceber que a vida é uma prova contínua de aprendizagem. Só não podemos nos deixar levar pelo ego e acreditar que não devemos pedir desculpas por nossas falhas. As falhas podem influenciar na vida de outras pessoas, nas expectativas que elas criam sobre nós.

Então, não há nada mais natural do que pedir perdão. Esse é um gesto simples de civilidade, mas também uma grande demonstração de fé em Deus.

Ele ensinou que só alcança a Sua misericórdia quem reconhece os próprios erros e pecados, mas também perde perdão por eles. Não há problema nenhum nisso, pois Deus não nos cobra perfeição.
A verdade é que cometer erros é um defeito comum, mas pedir perdão é uma virtude que poucas pessoas praticam. Mas se essa é uma atitude tão simples, por que tanta gente tem resistência a pedir perdão?

Os erros nada mais são do que um convite para nos tornarmos melhores. Vivemos numa sociedade que pede perdão e perdoa muito pouco. Desde crianças, associamos o erro ao castigo, ao fracasso, seja como filhos ou como alunos na escola.

Dessa forma, aprendemos desde muito cedo a desenvolver mecanismos de defesa para camuflar o erro, tentar ignorá-lo e assim proteger nossa autoestima.

O perdão é capaz de curar feridas, reparar danos e até reaproximar aquelas pessoas que se equivocaram, mas estão dispostas a selar as pazes conosco. O perdão é também um ato de coragem.

É uma atitude nobre reconhecer os próprios erros e ir em busca de uma solução. Isso nos enriquece como seres humanos, mas também espiritualmente. Deus não abandona quem busca perdão e se propõe a seguir em frente, reconstruindo-se e tentando ser a melhor versão de si mesmo.

Quem pede perdão dá um exemplo de coragem e quem perdoa também prova sua humildade. Ambos são gestos que alegram a Deus e devem ser exaltados por cada um de nós, diariamente.

Nossa grandeza está em aprender com todos esses passos que, dia após dia, nos dão oportunidades de ser seres humanos melhores.

Não há melhor forma de aprender do que errando e não há nada mais digno do que saber pedir perdão e perdoar o próximo.

Texto escrito com exclusividade para o site O Amor. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos. Direitos autorais da imagem de capa: Mike Greer/Pexels.

Por: Adriano Fernandes

O Leão de Judá
Judá, a ti te louvarão os teus irmãos; a tua mão será sobre o pescoço de seus inimigos; os filhos de teu pai a ti se inclinarão. Judá é um leãozinho. (g49:8)

COMENTÁRIOS