Durante uma entrevista o jogador falou sobre sua carreira, fé e família.

“Só Deus pode realmente preencher os nossos corações e corresponder às nossas expectativas”. É com esse espírito que o craque Diego Ribas (Flamengo) tem vivido dentro e fora de campo.

Durante uma entrevista concedida para o programa “Nova Talk”, apresentado pelo pastor Maurício Fragale, o jogador falou sobre sua carreira, fé e família.

Comentando seu testemunho de vida e sua relação pessoal com Deus, Diego destacou que a vida tem suas oscilações, momentos de alegrias e tristezas, mas o fato dele se manter focado em Jesus é essencial para se manter firme.

“Deus mudou a minha vida de várias maneiras, mas principalmente na de dar um sentido para tudo isso. Só Deus pode realmente preencher os nossos corações e corresponder às nossas expectativas de uma maneira permanente, porque o sucesso, o reconhecimento das pessoas, realmente é maravilhoso, mas não é permanente. Nós vivemos em altos e baixos. Então, quando a gente fixa o nosso olhar em Jesus, é como se tivesse um alvo, um caminho a seguir, independente das circunstâncias que vivemos”, disse.

“Quando fala em Romanos que tudo coopera para o bem daqueles que amam a Deus, essa é uma passagem que me marcou bastante e até hoje, porque nem sempre sai como nós gostaríamos. Então, você se levantar, seguir em frente e tirar uma lição daquelas situações desfavoráveis é algo que eu confesso que sozinho, teria me faltado forças”, acrescentou. “Então, a gente vê que existe um Deus de justiça, que realmente olha por nós e nos dá a recompensa do esforços que fazemos. Isso nos motiva e renova as nossas forças”, acrescentou.

Encontro com Deus

Questionado sobre o início de sua caminhada de vida cristã, Diego relatou que tudo começou quando se mudou para a baixada santista (SP), ainda garoto. Com cerca de 13 anos de idade, ainda jogando nas categorias de base do Santos, ele começou a frequentar as reuniões dos Atletas de Cristo, realizadas com a participação de vários jovens atletas como ele.

Diego contou que aqueles momentos marcaram o início de sua caminhada cristã, porque a partir de então ele passou a se dedicar à leitura da Palavra e à oração.

“Aquilo foi abrindo a minha mente, fui tendo um conhecimento maior da Palavra de Deus e depois de alguns anos eu vim realmente a levar a sério a vontade de Deus e tudo isso, com certeza, mudou a minha vida”, explicou.

Amadurecimento

Diego também confessou que apesar de seu testemunho não ter um roteiro de uma mudança drástica de vida, como de tantas outras pessoas, que muitas vezes envolve drogas, criminalidade, feitiçaria ou outros elementos, Deus o ajudou a amadurecer e trabalhar seu temperamento forte.

“Nem sempre eu fui assim, calmo. Nem sempre controlei bem as minhas emoções. Eu era muito reativo e acreditava muito nessa justiça com as próprias mãos. Então, já tive muita dor de cabeça. Mas com certeza, esse meu relacionamento com Deus fez com que eu mudasse bastante disso”, disse.

“Agora, acho que independente daquilo que as pessoas vivem, tem alguns exemplos que vão ao extremo, mas também vemos algumas pessoas hoje que aos olhos da sociedade têm uma vida ‘perfeita’, são ‘bem sucedidos’, mas que no interior estão com um coração destruído. Então, eu acho que independente disso, de onde você está, da realidade que você vive, Deus é fundamental”, acrescentou

O jogador ainda destacou que no cotidiano, não se pega tanto falando em religião, mas suas conversas inevitavelmente acabam convergindo no mesmo ponto: Deus.

“Não é um discurso religioso, mas eu falo que quase todas as conversas que eu tenho acabam no mesmo ponto. A gente tem o nosso raciocínio, a inteligência que Deus nos dá, mas nada como a Palavra de Deus, essa crença de que Ele é o nosso criador, Ele tem o melhor para nós e nós temos que seguir esses ensinamentos”, relatou.

Clique no vídeo acima para conferir a entrevista completa.

O Leão de Judá
Judá, a ti te louvarão os teus irmãos; a tua mão será sobre o pescoço de seus inimigos; os filhos de teu pai a ti se inclinarão. Judá é um leãozinho. (g49:8)

COMENTÁRIOS