Existe um ditado que diz: “Religião, política e futebol não se discutem”. E a razão para esse conselho é simples: Esses temas tendem a gerar discussões acaloradas e facilmente descambam para brigas, que podem até acabar com amizades antigas.

Mas será que a Bíblia ensina que não devemos mesmo evitar discutir nossa religião com quem pensa diferente? Ou será que o cristão tem obrigação de defender sua fé, sempre que tiver oportunidade, apesar das situações onde haja resistência?

O que a Bíblia diz

Na verdade a Bíblia é clara em dizer que precisamos sim falar sobre nossa fé. Por exemplo, veja o que está dito na primeira carta de Pedro capítulo 3, versículo 15:
…estando sempre preparados para responder a todo aquele que vos pedir a razão da esperança que há em vós.

Portanto, é nossa obrigação, como cristãos/ãs, estarmos sempre em condições de falar sobre nossa fé e justificá-la perante quem pense diferente. Trata-se de um mandamento.

E a primeira consequência desse mandamento é que você precisa adquirir o preparo necessário para desempenhar essa tarefa.

Por exemplo, ter capacidade de explicar porque tem certeza ser a Bíblia a autêntica Palavra de Deus (veja mais), conhecer os versículos fundamentais sobre a fé cristã (veja mais), saber falar sobre o plano de salvação de Deus, através de Jesus Cristo, etc.

Outra consequência direta desse mandamento é que você não pode se omitir, ficando numa posição confortável de “agente secreto/a” de Jesus Cristo (mais detalhes).

Mas, isso tudo não significa que você deva brigar, partir para o confronto. Ser desrespeitoso/a. Ao contrário, o objetivo deve ser argumentar, trocar ideias e esclarecer dúvidas que as outras pessoas possam ter sobre o cristianismo.

Nunca se esqueça que o cristianismo prega o amor ao próximo e uma atitude agressiva somente daria testemunho contraditório da nossa fé.

Eu já tive inúmeras conversas sobre religião e nunca precisei brigar. Sempre respeitei e fui respeitado. Uma única vez as coisas passaram dos limites e, por minha culpa, pois era muito jovem e afoito. Mas, aprendi muito com aquela experiência ruim.

Cuidados para discutir religião

Agora, para que a conversa sobre religião seja produtiva, é preciso tomar alguns cuidados. Em primeiro lugar, tenha sempre em mente que a luta não é contra as pessoas e sim contra as ideias erradas delas (Efésios capítulo 6, versículo 12).

Lembre-se que gente tão sincera como você pode estar seguindo um caminho espiritual errado, acreditando estar fazendo a coisa certa. Basta lembrar do caso do pastor Jim Jones, que levou toda sua congregação ao suicídio, com o poder da sua pregação.

Depois, não tente “enfiar seus argumentos pela goela abaixo” da outra pessoa. Muitas vezes ficamos tão motivados a tirar a pessoa do caminho espiritual errado, que acabamos por forçar demais.

A partir de determinado ponto da conversa, a pessoa que discorda do seu pensamento vai se fechar para novos argumentos e não adianta insistir. O melhor é parar e, se possível, aguardar outra oportunidade.

Afinal, ninguém gosta de reconhecer que vem seguindo ideias erradas durante muito tempo. É necessária uma grande dose de humildade que pouca gente costuma ter.

Lembre-se que a palavra sobre Jesus Cristo, dada durante a conversa, não foi em vão (Isaías capítulo 55, versículo 11). De alguma forma, o Espirito Santo vai fazer com que ela frutifique no coração da pessoa, mesmo que o resultado final somente apareça tempos depois.

Uma vez estava num táxi e o motorista me contou sobre uma palavra dada a ele, por outra pessoa, um tempo antes da nossa conversa. Essa palavra não saia da cabeça dele e ele me pediu mais explicações sobre seu significado.

Ele saiu da conversa comigo afirmando que iria procurar uma igreja. Não sei se isso aconteceu, mas tenho certeza que o Espírito Santo estava trabalhando no coração daquele homem.

Em terceiro lugar, nunca se aproxime da outra pessoa com críticas diretas ao que ela acredita ou faz. Ao invés de dizer, por exemplo, que a religião dela é “coisa do Demônio”, fale das coisas boas do cristianismo – sua agenda deve ser sempre positiva.

Outras dicas importantes

Apoie-se nos ensinamentos de Jesus para construir sua argumentação e pode ter certeza que não haverá argumentos melhores.

E lembre-se que você não é dono da verdade. É sempre possível que você esteja errado/a em algum aspecto da doutrina cristã. Afinal, todo mundo erra, mesmo quando quer acertar.

Certa vez vi um pastor subir ao púlpito da sua igreja e dizer que, depois de estudar e orar muito, tinha chegado à conclusão que determinada doutrina, que sempre ensinara, estava errada. E explicou que iria conduzir a igreja a uma mudança de posição teológica.

A atitude desse pastor foi correta – ele se convenceu que estava errado e não teve vergonha de reconhecer isso e mudar.

Finalmente, lembre-se sempre que quem muda a outra pessoa não é o seus poder de argumentação, por melhor que ele seja. Quem gera mudança verdadeira é o Espírito Santo.

Se Ele não agir, você poderá ficar até rouco de tanto falar, que nada vai acontecer. Faça sempre sua parte, mas lembre-se que sem o Espírito Santo, não haverá resultados concretos.

Com carinho

Por: Vinicius Moura / Desafio de Ser Cristão

RECOMENDAMOS


O Leão de Judá
Judá, a ti te louvarão os teus irmãos; a tua mão será sobre o pescoço de seus inimigos; os filhos de teu pai a ti se inclinarão. Judá é um leãozinho. (g49:8)

COMENTÁRIOS