Por: Douglas Junior Correa Guanes
E traziam-lhe também crianças, para que ele as tocasse; e os discípulos, vendo isso, repreendiam-nos. Mas Jesus, chamando-as para si, disse: Deixai vir a mim os pequeninos e não os impeçais, porque dos tais é o Reino de Deus. Em verdade vos digo que qualquer que não receber o Reino de Deus como uma criança não entrará nele. (Lucas 18:15-17)
O espirito de religiosidade na maioria dos cristãos, afasta o povo da presença de Deus

Temos um Deus justo e as vezes severo, como um pai que ama os seus filhos mais precisa ser de vez em quando duro, para educa-los e corrigir. Porém o nosso pai celestial não é esse pai mal, malvado, que gosta de educar os filhos com o medo, tortura ou até mesmo feridas físicas e psicológica.

A religião ao todo tenta criar jeitos e rituais para o homem chegar a Deus. Eles criaram uma imagem de um Jesus intocável, em quanto Jesus só que chegamos a ele, sem nem uma dificuldade ou ritual.

Os discípulos no texto bíblico a cima representa a religião, as crianças somos nós!

Jesus nos deu livre acesso ao pai, mais a religião impõe condições que não existem para abraçar Jesus.

O véu se partiu, não precisamos sacrificar algo, trajar belos trajes formais, fazer sinal da cruz, nos ungir com óleo da unção e nem pagar penitência para chegar até Jesus. Ele nos deu livre acesso a Deus, só precisamos querer estar com ele.

Devemos ter um coração puro como aquelas crianças, que com certeza estavam a vontade com Jesus, sem formalidade alguma, porque é isso que ele deseja! Ele é o nosso pai, ele está com o seu colo disponível nos acolher ou até mesmo consolar, ou simplesmente dar carinho, dar amor.

RECOMENDAMOS


O Leão de Judá
Judá, a ti te louvarão os teus irmãos; a tua mão será sobre o pescoço de seus inimigos; os filhos de teu pai a ti se inclinarão. Judá é um leãozinho. (g49:8)

COMENTÁRIOS