Gabby Helsinger, uma jovem estudante, da cidade de Ohio, Estados Unidos, publicou um vídeo dizendo que foi suspensa da escola por postar versículos bíblicos em paredes e armários da escola em resposta a uma coleção de bandeiras LGBT de “orgulho” que decoravam os corredores.

“Na quinta-feira, quando cheguei à escola, vi que haviam bandeiras do orgulho gay, cartazes em volta da minha escola”, diz Gabby no vídeo, que sua mãe, Tina Helsinger, compartilhou no Facebook. “E senti a necessidade de escrever alguns versículos bíblicos para poder colocá-los em minha escola. E eu os escrevi e os coloquei em volta dos armários, das paredes” disse Gabby.

“Eu estava chegando na escola quando vi os professores observando meus cartazes, e no dia seguinte, fui chamada na diretoria para receber a suspensão, e a razão foi por “desrespeito e grosseria com a organização do GSA. Eu não sabia o que era organização GSA ou o que significava.”

Gabby acredita que a verdadeira razão pela qual recebeu a suspensão é que sua escola favorece a ideologia LGBT.

“Na minha escola eu via que algumas pessoas precisavam de ajuda, porque elas não precisavam ficarem indecisas se deveriam ser gays, lésbicas, bissexuais ou trans. Eu sei que Deus é o único caminho, e que somente Ele pode curá-los de qualquer coisa, e é por isso que coloquei os versículos bíblicos”.

Gabby explicou que quando ela foi enviada para o escritório do diretor ela foi perguntada por que ela postou os versículos da Bíblia.

“E eu disse: ‘Porque eu queria espalhar a palavra de Deus'”, disse ela. “E [o diretor] disse: ‘Bem, você tem permissão?’ E eu disse: – Eu não sabia que tinha que ter permissão, porque as pessoas fazem muito isso – colocar notas, post nos armários das pessoas, então eu fiz isso. ”

Gabby então perguntou ao diretor por que qualquer material que menciona Deus ou Jesus, é removido “imediatamente”, enquanto “coisas de orgulho gay” podem ser colocadas em toda a escola e discutidas abertamente sem nenhuma repercussão.

Segundo a CBN News, a Faithwire entrou em contato com o superintendente da Escola da Cidade do Líbano, Todd Yohey, para esclarecer a política oficial da escola em relação à expressão religiosa.

Embora os administradores não tenham permissão para discutir ações disciplinares específicas contra alunos individuais, Yohey confirmou que o Código de Conduta do Estudante da escola não proíbe o compartilhamento ou publicação de textos ou imagens religiosas nas dependências da escola. Ele também confirmou que, como a GSA, os clubes religiosos podem se encontrar e anunciar durante o horário escolar.

A Bíblia contém muitas passagens que podem ser vistas como ofensivas aos grupos LGBT. De fato, o conceito de “casamento” entre pessoas do mesmo sexo e a negação do transgênero ao sexo biológico dado por Deus estão em conflito direto com as Escrituras. Mas se uma escola alega permitir que esses sistemas de crenças incompatíveis coexistam com proteções iguais, as pessoas são obrigadas a ficar ofendidas de vez em quando. Esse é o preço dessa liberdade de expressão.

Fonte: TG

RECOMENDAMOS


O Leão de Judá
Judá, a ti te louvarão os teus irmãos; a tua mão será sobre o pescoço de seus inimigos; os filhos de teu pai a ti se inclinarão. Judá é um leãozinho. (g49:8)

COMENTÁRIOS