Emoções

Nossas emoções são presentes de Deus, e elas têm muita influência em nossas vidas. Às vezes as expressamos aos outros com alegria, felicidade, paz, gentileza e bondade. Outras vezes, nossas expressões emocionais são brutais, destrutivas, grosseiras e nocivas. Como nossas emoções retrocedem e progridem através dos altos e baixos da vida, devemos sempre nos lembrar que o Pai nos deu emoções para aproveitarmos a vida e expressarmos nosso interior aos outros. O problema, no entanto, surge quando nossas emoções nos controlam ao invés de nós as controlarmos.

Através das Escrituras, vemos muitas pessoas expressando suas emoções. Saul estava com ciúmes de Davi (1 Samuel 18:6-9). Ana expressou sua grande tristeza e clamou a Deus (1 Samuel 1:10). Elias, supostamente um homem poderoso de grande fé e coragem, confessou inúmeras vezes na Palavra que estava com medo (1 Reis 19:2-4). E quando você olha para o Sermão do Monte, Jesus compartilha três diferentes vezes àqueles que se reuniam para ouvi-lo, “Não se preocupem… Não se preocupem… Não se preocupem” (Mateus 6:25-34).

Não muito tempo atrás, eu fiz um levantamento informal procurando encontrar qual emoção era a mais predominante no pensamento das pessoas. De longe, ansiedade era a número um. Pessoas estavam ansiosas sobre seu trabalho, saúde, situação financeira, família, escola, relacionamentos, direção e liderança nacional, dentre outras coisas. Não há dúvida de que vivemos em um tempo de ansiedade e incerteza. E “incerteza” é a palavra-chave quando se trata de ansiedade. Quando estamos lutando contra a ansiedade, nós estamos incertos sobre o que vai acontecer no momento presente, incertos sobre como a vida será no futuro, ou incertos sobre o impacto do passado em cada parte de nossas vidas.

Ansiedade por si só não é pecado. É uma resposta natural às incertezas que enfrentamos nas situações que acontecem diante de nós todos os dias. O problema é o que nós fazemos com nossas ansiedades e quanto tempo permitimos que elas vivam em nós. Ter o controle sobre esta emoção destrutiva é a chave para viver a vida que Deus projetou para que vivêssemos. E nos próximos dias, eu vou lhe mostrar como você pode ganhar vantagem sobre a ansiedade e desfrutar de uma vida vitoriosa e cheia de fé.

Por: Charles F. Stanly

O Leão de Judá
Judá, a ti te louvarão os teus irmãos; a tua mão será sobre o pescoço de seus inimigos; os filhos de teu pai a ti se inclinarão. Judá é um leãozinho. (g49:8)

COMENTÁRIOS