Nós temos que ter 2 precauções muito seria na Igreja

Primeiro delas é a numerolatria, a idolatração dos números. Nos dias atuais a igreja está importando a filosofia do pragmatismo para a sua agenda. O pragmatismo foi a filosofia mais popular do seculo xx.

O pragmatismo é quando você não está interessado na verdade, mais se interessa no que funciona. Não se importa com o conteúdo, só se importa com os resultados.

A igreja evangélica brasileira abraçou muita essa ideia, se transformando em um mercado. Como diria o ditado popular, o consumidor é quem dita o que quer!

Assim a igreja acaba virando um balcão de atendimento, oferecendo o que o consumidor procura. Você quer prosperidade? Saúde? Milagres? Sucesso?

Os membros dão as ordens, um efeito ibope para oferecer o que eles querem. Assim se deixou de lado a verdade para se pregar o que o povo quer.

Porém isso não é o evangelho e nem o que está nas escrituras, e nem o papel do pregador!

O pregador é chamado para pregar a palavra, não oferendo o que o povo quer ouvir mais o que o povo deve ouvir! Não o que dá ibope mais a palavra de Deus. Nosso papel não é arrancar aplausos da platéia e muito menos tapinha nas costas no final do culto, mais é pregar a verdade ainda que ela fira os corações das pessoas.

O nosso papel é pregar o que Deus diz e não o que queremos dizer, uma pregação expositiva que produz crescimento saudável. Não podemos buscar crescimento a qualquer custo, atraindo pessoas com palavras lindas e agradáveis aos ouvidos, sonegando o povo do trigo da verdade, as escrituras sagrada.

Outro risco que corremos que é a numerofobia, o medo com os números.

Algumas pessoas dizem que Deus não se importa com qualidade, a nossa igreja não cresce mais é fiel!

Temos que fazer uma pergunta para tudo isso! Será que existe fidelidade estéril ?

Muitas vezes tentamos justificar com a nossa teologia a nossa omissão e fracasso, nossa falta de poder espiritual.

Quando olhamos para a igreja primitiva, observamos que tinha qualidade de vida e que todos os dias eram acrescentado novas pessoas.

Quando a igreja tem qualidade, Deus dá quantidade!

Vemos quando o diabo tenta impedir o crescimento de uma igreja, ela é atacada pelo menos de três formas.

(Atos 1) A perseguição de fora para dentro. Como a igreja responde? Com oração e pregação!

No capítulo 5 de Atos, muda se a perseguição, que agora é pela infiltração! Satanás bota dentro da igreja um casal hipócrita. A igreja responde com oração, discernimento e pregação!

No capítulo 6 vem a distração. Os apóstolos estão ocupados de mais servido as mesas, não que fosse algo indigno ou errado, mais tirava eles das prioridades. Logo depois eles param e decidem, se dedicar aos seus ministério e a palavra.

O que leva crescimento saudável de uma igreja, é a oração e conhecimento da palavra, nós estamos muitas vezes querendo produzir o crescimento da igreja, através de técnicas e ideias modernas, buscando recursos da tecnologia humana, mais se nós realmente quisesse encontra uma forma saudável para o crescimento da igreja, não seria preciso ir para técnicas do pragmatismo moderno, voltaríamos ao livro de Atos, porque é lá que tem a receita saudável que é a oração e o conhecimento da palavra.

Porque algumas igrejas crescem e outras não?

Por que há pouquíssima ênfase na oração e pregação, com elementos que devam levar a igreja a um crescimento saudável!

Se a igreja Evangélica brasileira quer realmente intender o que é um crescimento saudável, vai ter que aceitar que o crescimento se dá na oração e na pregação verdadeira das escrituras.

RECOMENDAMOS



O Leão de Judá
Judá, a ti te louvarão os teus irmãos; a tua mão será sobre o pescoço de seus inimigos; os filhos de teu pai a ti se inclinarão. Judá é um leãozinho. (g49:8)

COMENTÁRIOS