O cantor e produtor americano descreve como uma “guerra espiritual” a atual situação do mundo.

Em entrevista à revista GQ, Pharell Williams diz que o nosso mundo está no meio de uma guerra espiritual e as pessoas frequentemente procuram na Internet as respostas para os problemas da vida em vez de Deus.

O cantor e produtor americano disse que queria participar da conversa porque sente que precisa se manifestar sobre o que descreve como uma “guerra espiritual”.

“Vou trazer Deus para isso”, disse ele. “Muitas pessoas oram menos. Então, agora, quando você faz uma pergunta, onde consegue o resultado número um? [No] Google. Você não usa as mãos em oração, mas em movimentos de digitação”.

Para o cantor, esse tipo de atitude mostra que “não estamos seguindo a Deus. Estamos seguindo homens”.

Durante a entrevista, Pharell falou de sua infância na igreja. Ele disse que foi fortemente influenciado por uma igreja pentecostal que frequentou com a família de sua mãe.

O cantor também falou sobre a situação política americana. Em uma aparente discordância sobre os controles de fronteira nos EUA, ele disse: “Como se víssemos cães sendo mantidos em gaiolas em condições antiéticas”.

“Mas seja um povo latino-americano e seja o que for. As pessoas dizem que a religião tem tanto poder em nosso país. Sim?”, questiona.

Pharrell diz que são cristãos sendo tratados assim. “A propósito: O que Jesus faria sobre isso na fronteira? Jesus apoiaria esse tipo de tratamento desses seres humanos? Gostaria que o sinônimo de americano fosse humano. Atualmente não é”.

Pharell Williams ganhou dez prêmios Grammy e dois Oscars.

O Leão de Judá
Judá, a ti te louvarão os teus irmãos; a tua mão será sobre o pescoço de seus inimigos; os filhos de teu pai a ti se inclinarão. Judá é um leãozinho. (g49:8)

COMENTÁRIOS