Parece que nem a bancada do PT e nem do PSOL irão participar da posse de Bolsonaro em Brasília no dia 1 de janeiro. PCdoB também faz parte dos partidos que não comparecerão.

O PT chegou a pedir a impugnação da candidatura de Bolsonaro, antes do segundo turno, após uma reportagem da Folha afirmar que empresas estariam financiando a divulgação de mensagens por WhatsApp contra o partido.

“Mantemos o compromisso histórico com o voto popular, mas isso não nos impede de denunciar que a lisura do processo eleitoral de 2018 foi descaracterizada pelo golpe do impeachment, pela proibição ilegal da candidatura do ex-presidente Lula e pela manipulação criminosa das redes sociais para difundir mentiras contra o candidato Fernando Haddad”, diz nota assinada por Paulo Pimenta, líder do partido na Câmara, Lindbergh Farias, líder do partido no Senado, e Gleisi Hoffmann, presidente do PT.

O Presidente do PSOL também se manifestou sobre o assunto em seu perfil oficia do Twitter:

“Como é de praxe, o TSE convidou toda a bancada do PSOL para a posse do novo presidente. Mas como prestigiar alguém que despreza os direitos humanos, promete colocar o Brasil de joelhos diante dos EUA e destruir os direitos sociais? Não vamos à posse. Nossa resistência já começou”, disse ele.

O PSOL alegou no comunicado assinado pela executiva nacional que os parlamentares da sigla não comparecerão à solenidade porque “não há nada a comemorar”.

De acordo com os dirigentes do PSOL, o governo que se iniciará em 1º de janeiro “tem como princípios o ódio, o preconceito, a intolerância e a violência”

Fonte Twitter PSOL

O Leão de Judá
Judá, a ti te louvarão os teus irmãos; a tua mão será sobre o pescoço de seus inimigos; os filhos de teu pai a ti se inclinarão. Judá é um leãozinho. (g49:8)

COMENTÁRIOS