Brian Cole se afastou da igreja e de Deus, entrou para a criminalidade, mas sua mãe continuava firme orando por ele.

Brian Cole era uma criança diferente. Por causa de seus dentes tortos e por ter baixa estatura ele foi um garoto rejeitado na escola. Além disso, o menino era intimidado com os abusos físicos e emocionais que sofria por parte de seu pai.

“Eu odiava meu pai”, diz Brian Cole em depoimento dado à CBN. “Eu pensava quando chegaria a idade em que fosse capaz de agredir meu pai a socos e que eu nunca estaria bem com ele.”

Mas tudo mudou quando Brian se deu a chance de conhecer a Palavra de Deus. Logo Jesus entrou em seu coração e ele passou a ser um homem transformado pelo poder de Deus.

“Quero ser uma imagem de esperança para qualquer pessoa, especialmente os envolvidos em crimes e ex-presidiários, os feridos, os manipulados e os que saem das drogas”, diz ele. “Quero que eles tenham a mesma coisa que consegui. Eu quero mostrar Jesus a eles”.

Início das transgressões

Ainda na escola, Brian se aproximou dos alunos do ensino médio, mais velhos, que eram problemáticos. Ele conta que rapidamente percebeu que o jogo havia virado para os seus atormentadores na escola, já que os alunos mais velhos o defendiam. Agora era a sua vez de aterrorizá-los.

O menino começou a brigar em todos os lugares – na escola, na igreja. Ele também começou a roubar e a usar drogas regularmente. Ele conta que, por causa de seu comportamento, a igreja que frequentava começou a condená-lo, o que o fez se afastar de Deus.

Brian diz que ele acabou se tornando o que odiava: um valentão.

Com esse perfil, começou a invadir, roubar e vandalizar igrejas. Na escola ele traficava drogas e pornografia.

“Eu tinha 10 anos e não queria estar em casa, não queria estar na escola e não queria estar na igreja”, conta Brian, emocionado ao se lembrar dos sofrimentos.

Ele diz que somente sua mãe, Dorothy, lhe deu amor incondicional e orou por ele continuamente.

“Eu adorava que as pessoas me admirassem e que elas tivessem medo de mim. Eu era o cara”, lembra. Mas, aos 14 anos, Brian foi preso por vender maconha, após denúncia feita por seu pai.

A partir daí, Brian percorreu o sistema policial, judiciário, centros de tratamento e enfermarias. Mesmo assim, ele não parava de usar drogas e roubar.

Aos 18 anos, Brian foi processado por entrar e quebrar 250 casas, o que o levou a receber uma pena de 10 anos de prisão de segurança máxima. Enquanto estava lá, ele se voltou para o satanismo para gerar ainda mais medo nos outros. Brian usava cada vez mais drogas pesadas, como o LSD.

“Ver o medo nos olhos das pessoas – até nos olhos dos guardas – alimentava meu ego”, conta Brian, sobre esse passado sombrio.

Depois de sair da prisão, em 1994, Brian começou a namorar, mas quando ela o traiu, ele perseguiu o homem e atirou nele à queima-roupa. Milagrosamente, o homem sobreviveu.

A polícia localizou Brian, usando uma pista fornecida por sua mãe. “É claro que culpei minha mãe”, lembra ele.

Brian disse que naquela altura sua mãe tinha desistido de vê-lo bem. Não havia nada que ela pudesse fazer humanamente por Brian, a não ser orar.

De volta à prisão

Ele pegou outros 12 anos de prisão. Quando ele foi libertado, encontrou um velho amigo que o apresentou a uma nova droga. A metanfetamina era diferente de tudo que ele já havia tentado antes.

O amigo de Brian acabou morrendo por causa da metanfetamina, desmaiado em um colchão que pegou fogo por causa de um aquecedor.

Brian não durou muito nas ruas. Ele foi preso mais uma vez. “Eu estava na casa dos 40 e simplesmente não queria mais viver”, diz ele.

Querendo mudar sua vida, Brian se matriculou em um programa de reabilitação de drogas. Após uma ou duas sessões, ele descobriu que o grupo era baseado na fé. Enquanto ele estava desligado de Deus, ele queria acabar com as drogas e decidiu continuar com o programa.

A lição de casa exigia o uso de uma Bíblia para ter os espaços em branco preenchidos. Assim, Brian conta que se deparou com o Salmo 51:7: “Purifica-me com hissopo, e ficarei limpo; lava-me e ficarei mais branco que a neve.”

Ele diz que o verso o assustou e o intrigou. “Era palavra por palavra parte dos rituais de limpeza do ocultismo”, diz ele. “O que isso está fazendo na Bíblia?”

Parecia estranho que suas práticas no satanismo fossem incluídas na Bíblia. Mas sua inclusão coincidente na Bíblia serviu a um bom propósito: fez com que ele se interessasse em ler e aprender mais da palavra de Deus.

Jesus, a verdade

Brian percebeu que estava lendo a verdade e que Jesus era a verdade.

Tornou-se mais do que apenas lição de casa para um programa de reabilitação de drogas. Deus o estava mudando por dentro.

“Em vez de eu preencher os espaços em branco agora, o Evangelho estava preenchendo os espaços em branco na minha vida”, diz ele.

Como um dos requisitos do programa, Brian escreveu uma carta para sua mãe, que o respondeu com outra de 13 páginas. Ele percebeu que sua mãe o amava por todos os 33 anos em que ele estava perdido.

Brian aceitou Jesus em 22 de janeiro de 2009 e renunciou ao satanismo. Ele diz que a coisa mais difícil era acreditar que poderia ser perdoado.

Assim que saiu da prisão, em 2010, ele decidiu visitar seu pai e o pediu perdão. O pai de Brian respondeu que o amava e tinha orgulho dele. “Eu não tinha ouvido essas duas palavras a vida toda”, diz.

Hoje, Brian é pastor e tem esposa e filhos. Ele faz parte do Faith Riders Motorcycle Ministry de Chequamegon, Wisconsin.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO GOD REPORTS

O Leão de Judá
Judá, a ti te louvarão os teus irmãos; a tua mão será sobre o pescoço de seus inimigos; os filhos de teu pai a ti se inclinarão. Judá é um leãozinho. (g49:8)

COMENTÁRIOS