Cris Poli falou sobre como conseguiu expressar o amor de Cristo às famílias que atendeu durante 10 anos no programa ‘Supernanny’.

A Argentina passava por uma de suas crises nos anos 70 e devido ao surgimento de uma oportunidade de trabalho para o seu marido, ela e sua família migraram para o Brasil. Mas hoje Cris Poli vê que este processo de mudança foi mais uma prova de que Deus estava cumprindo Seus planos na vida dela.

Em um bate-papo com o pastor Maurício Fragale, a educadora conhecida como ‘Supernanny’ contou sobre como descobriu os propósitos divinos em sua vida e sua carreira.

“Hoje, conhecendo ao Senhor, eu creio que Ele nos trouxe aqui para conhecê-Lo aqui para a gente ter um encontro com ele aqui, porque eu não nasci em um lar cristão e não me converti na Argentina, me converti aqui [no Brasil]”, explicou.

Conhecida por seu trabalho de 10 anos na televisão, quando Cris Poli foi contratada pelo SBT para participar da produção, ela explicou que foi realmente capacitda por Deus para aquilo, porque ela nunca tinha trabalhado na TV.

“Foi mais um trabalho de Deus na minha vida, mais um desafio. Eu falo que Deus, em determinado momento da minha vida decidiu me dar desafios atrás de dasafios. ‘Vamos lá, faça isso, vá em frente, eu estou com você’. Esse foi um deles. Tanto é que quando eles me contrataram eu falei: ‘Não sei nada de televisão, vou precisar aprender tudo”, confessou.

Segundo ela, já no começo das gravações, a produção do programa deixou claro que ela não poderia usar a televisão para compartilhar seus princípios de fé e esta condição exigiu outro novo aprendizado da educadora.

“Quando eu comecei a gravar, eles ficaram sabendo que eu sou cristã, então me chamaram e disseram: ‘A gente quer deixar claro que quem é evangélica é a Cris Poli, mas a Supernanny não é, então veja bem o que você vai falar’. Eu nunca trabalhei baseada em script, sempre foi aquilo que eu conhecia e sabia que tinha que levar”, destacou.

“Eu falei: ‘Deus, e agora?’. Eu vinha de um contexto de igreja, eu estava na igreja e a escola onde eu trabalhava era cristã, então para mim era normal falar de Deus em qualquer lugar. Mas Deus foi me ensinando. Eu falei: ‘Senhor, o Senhor vai ter que me ensinar a falar de Deus sem falar o nome de Deus”, acrescentou. “Ele foi me ensinando, foi como um treinamento para me ajudar a levar os princípios da Palavra, daquilo que eu acredito que muda as famílias e faz a diferença no relacionamento entre pais e filhos, de uma maneira diferente”.

Quando questionada pelo pastor e entrevistador se ela teria aproveitado alguma oportunidade de compartilhar sua fé cristã com as famílias, ainda que longe das lentes das câmeras, Cris Poli relatou que realmente fez isso.

“Sim, muitas [famílias] se converteram. Inclusive, entre elas, fora das câmeras, uma família conhecia a outra e conversavam. Deus foi fazendo um trabalho de evangelismo entre elas. Inclusive hoje, eu continuo recebendo emails de algumas delas, dizendo que tinham se convertido; casais que moravam juntos, mas não estava casados e se casaram. Foi todo um trabalho que Deus fez e foi muito além daquilo que a gente vê na televisão”, explicou.

“Para você ter uma ideia, eu gravava durante duas semanas com cada família. A gente tinha 90 horas de gravação e isso era tudo editado em 45 minutos. Então o que acontecia nessas duas semanas era muito mais que aquilo que aparecia na televisão”, acrescentou.

FONTE: GUIAME

O Leão de Judá
Judá, a ti te louvarão os teus irmãos; a tua mão será sobre o pescoço de seus inimigos; os filhos de teu pai a ti se inclinarão. Judá é um leãozinho. (g49:8)

COMENTÁRIOS