Por: Douglas Junior Correa Guanes / Site O Leão de Judá
Todos os dias vemos nos jornais relatos sobre violência doméstica ou até mesmo moças sendo agredidas de alguma forma pelos seus namorados.

A coisa começa a ficar mais séria quando essa violência vem para dentro da igreja. Deveríamos ter sacerdotes em um lar cristão, que honre, cuide e ame suas mulheres, porém vemos verdadeiros ditadores que acha que submissão é escravidão.

O amor tudo supera mesmo?
Até mesmo traição e agressão?

O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha.
Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor.
O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade.
Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. (1 Coríntios 13:4-7)

O pior não é ser um homem que agride mulher, pior é uma mulher que se sujeita em ser agredida.

Todos os dias recebemos denúncias de esposas maltratadas dentro da igreja, pessoas sem amor-próprio, que acham que vivem um amor, mais na verdade vivem uma carência emocional, onde enxergam amor a onde não existe.

Algumas mulheres ou moças viveram anos ao lado de um canalha, após Deus as tirá-las das mãos desses sujeitos, elas se lamentam, querem de volta, falam que eles não eram tão ruins assim, arruma mil motivos e virtudes que só existe na cabeça delas.

Infelizmente muitas preferem ser mulher do bandido do que noivas de Cristo, preferem viver em um relacionamento de agressões, choro e tristeza do que viver o verdadeiro amor, ao lado de Jesus.

RECOMENDAMOS



O Leão de Judá
Judá, a ti te louvarão os teus irmãos; a tua mão será sobre o pescoço de seus inimigos; os filhos de teu pai a ti se inclinarão. Judá é um leãozinho. (g49:8)

COMENTÁRIOS