O mal de alguns é achar que pessoas apaixonadas não se cansam de esperar.

De alguma forma só percebemos que gostamos quando perdemos, isso é um instinto natural dos seres humanos e algo ensinado nos diversos cursos de reconquistas, que hoje vemos por aí.

Alguns até podem não dá o braço a torce, mais todos sentem algum remorso quando vemos alguém que descartamos, sendo feliz com outra pessoa. Uns podem até desejar a felicidade de coração, mais no fundo algum interesse que antes não existia, passa a existir só pelo fato de não sermos mais a atenção principal.

O não valorizar é o principal ponto desse sentimento, às vezes escolhemos tanto, que deixamos pessoas maravilhosas escaparem das nossas mãos. Criamos uma forma tão criticar de escolher pessoas, de exigir qualidades que nem nós mesmos temos.

A verdade é que exigimos mais do que merecemos, acabamos não sendo nem um terço do que queremos das pessoas, por isso vemos pessoas que passam a vida trocando de parceiros, achando que o defeito está na humanidade ou no sexo oposto, quando na verdade o erros está na forma que essa pessoa seleciona os seus parceiros, ou exige virtudes que ela mesmo não tem em suas atitudes.

Devemos ter em mente que não somos perfeitos, que do mesmo jeito que as pessoas erram, nós também erramos, a imaturidade é algo que vive também dentro de nós, não podemos ver ela por que não olhamos para os nossos defeitos, focamos sempre no mundo e nunca em nós mesmos.

Fonte: Douglas Junior.

O Leão de Judá
Judá, a ti te louvarão os teus irmãos; a tua mão será sobre o pescoço de seus inimigos; os filhos de teu pai a ti se inclinarão. Judá é um leãozinho. (g49:8)

COMENTÁRIOS