Eu acompanho vários produtores de conteúdo, principalmente na área de divulgação científica. São pessoas que me inspiram por serem muito talentosas, inteligentes e saberem se expressar bem dentro do formato que escolheram: vídeo, foto, texto, etc. Muitas das coisas que melhorei no blog ao longo dos anos eu devo a muita gente que me inspirou direta ou indiretamente.

Há um youtuber que admiro muito e que começou gravando vídeos sobre divulgação científica em sua área. Depois estendeu seu trabalho e passou a gravar vídeos opinativos, escreveu livro, passou a dar palestras presenciais, etc. Gosto demais do trabalho dele e acompanho desde o início. Pois bem, tenho notado nos últimos anos que ele virou “escravo” de sua audiência. Quero dizer, as pessoas pedem para ele gravar vídeos sobre temas que estão em alta e ele então grava.

Talvez ele goste disso. Manter uma produção de conteúdo em fluxo constante é difícil, nem sempre temos boas ideias. Ouvir sugestões das pessoas que nos acompanham sempre é muito bom. Aqui no blog por exemplo, muitos posts muito bons foram escritos a partir de dúvidas dos leitores. Apesar disso, essa situação me fez pensar em algo que eu defendo há algum tempo:

VOCÊ NÃO PRECISA EMITIR SUA OPINIÃO SOBRE TUDO!

E saber disso é libertador. Você não precisa dar sua opinião sobre todos os assuntos em voga porque nem sempre temos condições de opinar a respeito, seja porque não temos conhecimento sobre o assunto, porque o assunto não nos interessa, porque ele é chato, porque é mais do mesmo, etc. Eu não quero viver numa prisão onde eu preciso dar meu parecer sobre tudo o que está acontecendo. Além disso, opinar rapidamente sobre algo que está acontecendo AGORA pode ser ruim, uma vez que não tenho conhecimento de todos os elementos do fato e posso dar uma opinião injusta, incompleta ou equivocada.

Muitas vezes me mandam perguntas ou me dão sugestões de temas para abordar aqui e eu simplesmente não sigo as sugestões e não sinto que estou sendo injusta com minha audiência porque não aproveitei aquele tema. Além dos motivos que expliquei no parágrafo anterior, tenho outras demandas e prioridades na vida que me impedem de falar sobre todos os assuntos e escrever textos bem escritos sobre todos eles.

Ah, mas o seu leitor quer saber sua opinião! Então o leitor precisa ler outras coisas também, precisa ter acesso a outras produções de conteúdo. Observo na internet que há pessoas que tem essa sanha por querer saber o que o produtor de conteúdo que ela admira pensa sobre qualquer coisa. Pois procure por opinião de outras pessoas, opinião de pessoas que tem melhores condições de falar sobre aquele determinado assunto no momento. Ninguém sabe de tudo!

Sendo assim, o recado do post é: você não precisa opinar sobre tudo. E penso que isso não vale apenas para quem produz conteúdo em grande escala, pois até mesmo uma pessoa que tem o costume de escrever sua opinião nas redes sociais para que amigos e parentes leiam pode se sentir de certo modo cobrada a opinar sobre qualquer assunto. De repente está falando sobre a vida sexual dos artistas da Globo e política internacional, mesmo sem querer exatamente falar sobre isso ou consumir esse tipo de informação. Vira refém da cobrança do outro e há uma auto-cobrança também, como se fosse obrigação se inteirar de todos os assuntos para opinar. Penso que isso pode fazer mal, causar uma angústia desnecessária. Outro dia a Carla mencionou que periodicamente faz um “detox” de redes sociais, ficando um tempo off. Talvez essa prática possa ser saudável para todos nós.

Filed Under: Blog, Minimalismo, Opinião
Tagged With: minimalismo, opinião

Fonte: meteoropole.com.br

O Leão de Judá
Judá, a ti te louvarão os teus irmãos; a tua mão será sobre o pescoço de seus inimigos; os filhos de teu pai a ti se inclinarão. Judá é um leãozinho. (g49:8)

COMENTÁRIOS